Posted tagged ‘flamengo’

Nada é tão ruim que não possa piorar

02/02/2012

Quando foi demitido do Atlético/MG, deixando o time praticamente rebaixado, pensei que o (ex)trategista Vanderlei Luxemburgo estava no fundo do poço, na cracolândia do futebol brasileiro. Aliás, já havia pensado isso quando ele assumiu o Atlético/MG, com todo respeito a um dos maiores clubes de Minas Gerais.

Mas o pior está por vir. Nada pode ser mais humilhante do que perder o cargo para Joel Santana. Meu Deus, parem as máquinas, exclamação. O que pode acontecer de ainda “mais pior” para aquele que já foi o melhor técnico disparado do Brasil, interrogação. Voltar ao Bragantino ou ao Paraná, interrogação. Ser chamado para A Fazenda 5, interrogação.

Embora tenha feito por merecer, tenho dó do Vanderlei.

Ah, e o Flamengo, aonde pensa que vai com o Joel Santana, interrogação. Será que o clube já está se preparando contra a disputa pela rabeira do campeonato brasileiro, já que Joel se especializou nesse tipo de missão no clube, interrogação.

Vinicius (ex)Avallone, é como se sua mulher o trocasse pelo guarda noturno do prédio

Anúncios

Lágrimas, interrogação

01/28/2012

Cadê as lágrimas, interrogação.

Vinicius (ex)Avallone

Uma vez Flamengo…

01/26/2012

Quem joga no Flamengo pela primeira vez, joga porque assim quis o destino. Quem joga no Flamengo por duas vezes, joga porque está bem de vida e quer curtir (ou porque está desempregado e vê o Flamengo como ponte para conseguir um rumo na carreira). Mais de duas vezes só o Adriano, que não tem juízo.

Há quem diga que é amor. Pode ser. Mas o amor está relacionado mais à cidade do Rio de Janeiro do que ao clube. Exemplos de jogadores que juraram amor a algum clube carioca e acabaram jogando nos rivais não faltam. Romário, Edmundo, Beto Cachaça, Thiago Neves, Emerson Estelionato, Leo Moura, Petkovic … Esses jogadores gostam da cidade, e não do clube. O cara quando se acostuma com a vagabundagem dificilmente quer trabalhar de verdade.

O Vagner Love é mais um desses caras que quer curtir e viu no Flamengo, seu time de coração, a oportunidade para tanto. É a segunda vez que jogará lá. Da primeira vez que passou pelo clube ficou apenas 6 meses. E mesmo em tão pouco tempo o Flamengo conseguiu ficar devendo salários para o jogador. É uma tradição. E tradição no Rio é tradição, não importa a situação.

No final das contas fizeram um acordo para o jogador “receber” (ou ter o direito a) em não sei quantas parcelas. Provavelmente não estão pagando. Não pagam nem quem está lá, imagine quem está longe. Mesmo assim o jogador desejou retornar ao Flamengo. Provavelmente não deve estar precisando de dinheiro, pois se tivesse passaria longe… Só não quero ouvir o sujeito reclamar daqui 6 meses que os salários estão atrasados para tentar justificar algo. Ou daqui 15 anos, se estiver na miséria, reclamar que o Flamengo não paga o que lhe deve.

O que jogadores como Vagner Love precisam entender é que o fato de não receber salários no Rio de Janeiro não justifica a falta de gols, as derrotas, os atrasos. O cara quando aceita jogar no Flamengo está ciente de que o mês lá tem 90 ou 120 dias e que será cobrado dentro de campo pelos torcedores. O Ronaldinho parece que só entendeu isso agora.

Graças a Deus não sou credor do Flamengo. Preferiria ser credor da massa falida da Encol ou da Fazenda Boi Gordo. Mas fico imaginando o que se passa na cabeça de um credor do Flamengo vendo o clube não lhe pagar e contratar o Vagner Love por R$ 20 milhões, ainda que o CSKA não venha a receber nada por isso. Ficaria revoltado.

Vinicius (ex)Avallone

Ainda sobre o Thiago Neves

01/17/2012

Ainda sobre Thiago Neves, Fluminense e Flamengo, será que a diretoria do Fluminense não pensou na dignidade, na honra do clube quando cogitou contratá-lo, interrogação. Contratar esse cidadão – e pior, exaltar a sua contratação e valorizá-lo com um salário astronômico – depois de tudo o que ele fez e falou do clube quando jogava no Flamengo é uma clara demonstração de que o Fluminense está se apequenando, se humilhando por um jogador qualquer.

Pior é ouvir o discursinho sem vergonha do jogador (“Agradeço ao presidente Peter Siemsen e ao Dr. Celso Barros por estar voltando pra casa. Sinto o conforto, o prazer e a segurança de defender o clube que me ajudou a crescer na profissão“). Sério, eu no lugar do jogador não teria coragem para falar uma coisa dessa. Pediria para não ser nem apresentado. Vestiria a camisa e iria treinar. Tem que ser muito inescrupuloso para fazer algo semelhante.

E a torcida, interrogação. O que pensa, interrogação. Aposto que a maioria não está nem aí pelo que aconteceu na época em que o jogador fazia juras de amor ao maior rival e desdenhava do Fluminense (lembro quando ele chegou no Flamengo e disse que estava por feliz por enfim jogar em um time grande; se bem que a rigor ele não falou nenhum absurdo). Infelizmente é uma característica do povo brasileiro, que esquece o passado e aceita qualquer coisa.

Vinicius (ex)Avallone, quem é Barcos, interrogação. Lembra-me o Finazzi…

Patrícia, o mundo dá voltas

01/16/2012

Não adianta brigar contra o clichê “o mundo dá voltas”, ou então o “aqui se faz aqui se paga”.

Quem hoje reclama da suposta falta de ética do Fluminense por contratar o Thiago Neves é quem há alguns meses atrás tentou forçar a saída do Kleber do Palmeiras sem falar antes com o clube detentor dos direitos sobre o jogador – o que no mundo do futebol é considerado como anti-ético.

E a meu ver o Fluminense não faltou com a ética. O Fluminense só agiu após perceber que o Flamengo não conseguiria convencer o time dono dos direitos sobre o jogador a aceitar a sua proposta de pagar o valor da compra a prazo – aliás, só os idiotas acreditam na promessa de pagamento do Flamengo.

Ora, o Fluminense não podia ficar a mercê de um fato praticamente impossível de ser realizado – o Flamengo convencer os árabes a aceitarem a proposta de pagamento parcelado. O clube tem que se planejar, treinar o time, dar ritmo ao jogador. O Flamengo teve quase dois meses para fazer o negócio e não conseguiu. A fila andou e o Fluminense, que até que foi muito paciente, agiu no momento oportuno.

Ainda falando do Flamengo, não entendo a insistência do clube em ficar com o Ronaldinho Gaúcho. Será que o ano passado não serviu para o Flamengo perceber que o Ronaldinho é na verdade um grande ônus, interrogação. Na média, seu desempenho em campo foi pífio. Quando contratado, a ideia era fazer com que a contratação do jogador rendesse patrocínios milionários. Não vi o jogador nem fazendo propaganda para o Criança Esperança.

Ainda assim o Flamengo acha que o jogador pode dar algum resultado, dentro ou fora de campo, interrogação. Assim como só os idiotas acreditam que podem receber algo do Flamengo, só os idiotas ainda acreditam nesse tal de Ronaldinho Gaúcho.

Vinicius (ex) Avallone

Eu já sabia

01/14/2012

Se você for passar as férias na Praia Grande agora em janeiro, quando voltar não venha reclamar que lá falta água potável, que a praia é suja, quo mar é imundo, que foi roubado, que pegou trânsito, que só tocava funk, que o pessoal não tem educação, que os siris têm treze pernas, que a mulher mais bonita parecia com a Tati Quebra Barraco etc, etc, etc (e haja etc). Você sabia disso tudo antes de ir para lá. São circunstâncias públicas e notórias. Se você foi é porque aceitava tudo isso. Eu quando vou para lá na casa da minha Tia Dina já vou preparado.

Vou dar outro exemplo. O Craque do Viaduto do Chá, vulgo Ronaldinho Gaúcho, está reclamando dos seis meses de salários atrasados no Flamengo…

Vinicius (ex)Avallone 

5 x 4 é futebol, interrogação

07/28/2011

Como já era previsto, ninguém da grande mídia comentou que, mais do que emocionante, o jogo entre Santos e Flamengo foi ridículo do ponto de vista técnico.

Santos 4 x 5 Flamengo. “Isso é futebol”, disse o bobo alegre que apresenta o globo esporte de São Paulo. Só se for futebol de salão ou de vídeo game, que é o que ele e a maioria das pessoas que o assistem estão acostumados a acompanhar. 5 x 4 não é futebol, assim como não é futebol aquilo que o Palmeiras exerce dentro de campo.

Quem dera todo jogo fosse assim, pensaram os discípulos do globo esporte. Se todo jogo terminasse 5 x 4, 7 x 3, 9 x 6, o futebol não seria o esporte que é. Seria um handebol jogado com os pés. O gol não pode ser banalizado e comparado com uma cesta de basquete, que na grande maioria das vezes é comemorada da mesma forma que um torcedor de futebol comemora um escanteio.

Não que o futebol não pode ter vários gols em uma só partida e, de vez em nunca, um resultado como o de ontem. No primeiro caso, porém, o normal é que um time faça a grande maioria dos gols. Só em solteiro contra amigado é que o contrário é que é normal. E no segundo caso, que aconteça com a mesma periodicidade com que o Rivaldo joga bem pelo Palmeiras.

Por fim, reitero o que escrevi antes. A verdade deve aparecer. O resultado de ontem foi ridículo e humilhante para o time do Muricy Ramalho, talvez tão humilhante quanto a goleada recentemente sofrida pelo coitado do Palmeiras.

Agora vou voltar a trabalhar e guardar minhas forças para depois escrever sobre o tal de Elano, pois é inaceitável o que esse cidadão está fazendo e falando. Culpa de quem deu a 10 da seleção brasileira para esse infeliz.

Vinicius (ex)Avallone


%d blogueiros gostam disto: