Posted tagged ‘Luis Fabiano’

Lá vem o marketing

03/22/2011

Lá vem o São Paulo Futebol Clube de novo com essa história de marketing. O pessoal não cansa. Até quando eles pensam que vão enganar, interrogação. Um vez disseram de boca cheia que fecharam um contrato com a Warner Bros. Até hoje não explicaram no que deu isso. E aquela loja SAO, que só vende camiseta pra tudo quanto é lado. Sempre que eu passo na frente vejo mais vendedores do que clientes. Sem falar no nome.

A contratação do Luis Fabiano vai ter o mesmo enredo da contratação do Rivaldo. Farão festa, chamarão a imprensa e, dessa vez, vão abrir o evento para o público. Usando o artifício de alguns partidos políticos, possivelmente vão contratar algumas pessoas para incrementar o público que irá receber o jogador. Na entrevista vão apresentar um super plano de marketing que a curto prazo vai render milhões ao clube. No final dirão que o jogador sairá de graça.

Depois de tudo isso, não se ouvirá mais falar de nada de marketing.

O fato é que os jogadores que o São Paulo Futebol Clube contratou sob o pretexto do marketing não têm o perfil para isso. Não adianta inventar.

Vinicius (ex)Avallone, o Luis Fabiano é um bom atacante para o futebol brasileiro e nada mais

Luis Fabiano: será, interrogação

03/11/2011

O São Paulo acaba de anunciar a contratação do atacante Luis Fabiano. Até aí ótimo. Pelo que o São Paulo tem à disposição hoje, e pelo que os demais clubes possuem em seus elencos, uma excelente contratação.

O que não faz sentido são algumas informações que estão sendo veiculadas pela imprensa, possivelmente a mando da diretoria do clube, que sempre quer propagar que faz bons negócios, que sempre lucra com qualquer coisa relacionada ao clube etc.

Dizem que o clube contratou o jogador por R$ 17,5 milhões, algo em torno de US$ 10 milhões. O estranho nessa informação é que na semana passada foi anunciado que o Sevilla comprou 65% dos direitos do jogador por R$ 16 milhões. Será que ninguém notou a incongruência, interrogação. Que eu saiba o Sevilla é espanhol, e não português. Ou será que o Belluzzo integra a diretoria do Sevilla e eu não estou sabendo, interrogação. Se for isso, normal.

Outra bobagem dita é que a contratação poderia ser financiada mediante a exploração da imagem do jogador. Agora virou moda isso de dizer que o clube vai ganhar dinheiro com a exploração da imagem dos jogadores. São pouquíssimos os jogadores que possuem esse potencial de dar retorno com ações de marketing. O único no Brasil que rende algo é o Neymar, que infelizmente está todo dia na televisão. O mesmo não ocorre com jogadores como Luis Fabiano, Valdívia, Adriano etc. É conversa fiada. Quando o SPFC contratou o Rivaldo falaram a mesma coisa. Veja hoje. Ninguém nem comenta do infeliz, até porque ele não joga.

O único retorno que o Luis Fabiano pode dar é título. Se não ganhar nada, não há retorno algum, até porque pela sua idade, vai ser difícil lucrar alto numa futura transação.

Apesar de tudo, ao que parece foi um bom reforço. O que se deve analisar a partir de agora é o custo-benefício. Não adianta comprar um terno Armani e usá-lo para ir no churrasco do batizado do filho do vizinho.

Vinicius (ex)Avallone, e não me venha com essa história de time do coração, pois até outro dia estava louco para jogar no Corinthians (que dizem que é o seu time de criança)

A volta do Fabuloso

01/18/2011

Está na moda a desculpa de que as “estrelas” estão retornando ao futebol nacional por causa da próxima Copa do Mundo. Ouvi isso no caso do Ronaldinho Gaúcho e agora no caso do Luis Fabiano. Queria entender qual a lógica desse argumento. Quer dizer então que se o jogador atuar no futebol italiano ou no futebol espanhol, dois dos principais centros, ele não vai aparecer para o treinador da seleção brasileira, interrogação.

O argumento pode até ser válido, mas sob outro ponto de vista. A verdade é que o jogador não consegue mais render no exterior, ficando muitas vezes no banco de reservas, e encontra no Brasil a garantia de que poderá jogar sob qualquer circunstância, já que aqui o nome vale mais do que qualquer outra coisa. O Ronaldo é o maior exemplo disso. Jamais teria as regalias que possui no Corinthians se estivesse na Europa. Sua última passagem pelo Milan não me deixa mentir.

Nos campeonatos regionais eles deitam e rolam. Que Juventus ou Valência que nada. O negócio é jogar contra o Macaé, Volta Redonda, Bragantino, Linense etc. É certeza de grandes jogadas de efeito e gols aos montes. Assim fica fácil dizer que estão em uma excelente fase. Fora que aqui, diferente de lá, os zagueiros adversários ficam com receio de entrar duro nesses jogadores.

O Luis Fabiano realmente deve estar louco para voltar. Depois da proeza de continuar no Sevilla, uma espécie de Grêmio de Porto Alegre espanhol, mesmo depois de jogar uma Copa do Mundo como titular da seleção brasileira, não resta outra alternativa que não o retorno para o futebol brasileiro. Aqui ele ainda é o Fabuloso. Lá é e sempre foi o famoso Ken. Pode ser que feche com outro time do futebol europeu, mas pelo andar da carruagem a vida no novo time será curta.

O negócio é mesmo voltar para o Corinthians. Mas ele já não disse que se retornasse era para jogar pelo São Paulo, interrogação. Só os bobos acreditam. Jogador de futebol não deve nada para garota de programa. Pode ser branco, preto, amarelo. Tanto faz. É só pagar que leva.

Vinicius (ex)Avallone

Alguma surpresa, interrogação

06/15/2010

Sufoco.

Brasil 2 x 1 Coréia do Norte.

De repente a imprensa ficou receosa, temendo a desclassificação da seleção brasileira logo na primeira fase.

Ora, qual a surpresa, interrogação. Será que ninguém esperava um futebol ridículo como o que foi apresentado hoje, mesmo tendo na equipe jogadores medíocres como Maicon, Michel Bastos, Felipe Melo, Gilberto Silva, Elano, Luis Fabiano e Kaká.

Comentar sobre os cinco primeiros citados é chover no molhado. Se hoje voltassem para o Brasil não jogariam nem no Internacional do Celso Roth. E não me venha falar do Maicon, só porque ele fez um dos gols de hoje. Até outro dia esse cidadão estava para ser demitido da Inter.

Vale comentar os dois últimos: Luis Fabiano e Kaká.

O Brasil vencedor sempre teve um grande camisa 9. Nos últimos anos, por exemplo, teve Romário e Ronaldo. A seleção de hoje tem Luis Fabiano. Mas quem é Luis Fabiano, interrogação. Ganhou o quê, interrogação. Joga aonde, interrogação. Luis Fabiano, corintiano a quem Chico Lang se refere carinhosamente como “Favela”, não tem nenhum atributo para ostentar a camisa 9 do Brasil.

E mais. Um centroavante que se preza não fica sem marcar contra a Zimbábue, Tânzania e Coréia do Norte. A verdade é que a vaga de titular da seleção, após o fracasso de vários candidatos, caiu no seu colo. Luis Fabiano só está aí pois preenche a lacuna deixada por Ronaldo (e sua falta de comprometimento), Adriano (e suas peripécias), Fred (e o término do seu prazo de validade) e Alexandre Pato (que não passa de uma eterna promessa).

Já Kaká é isso que se viu hoje. Em todos os programas esportivos se discute a forma física de Kaká. Questionam o jogador clinicamente. Acreditam que Kaká não apresentou um bom futebol pois tem algum problema físico. Uma grande bobagem. Ele está meio fora de forma, é verdade. Mas o futebol do Kaká não é muito mais do que isso que ele mostrou hoje. Kaká é um jogador absolutamente comum, que se fosse feio como o Rivaldo estaria no São Paulo até hoje.

Kaká me lembra o Raí na Copa do Mundo de 1994. A imprensa acreditava que ele seria a estrela daquele mundial. A máscara caiu e Raí foi parar na reserva logo na primeira fase. E isso só não deve acontecer com o Kaká porque na reserva dele só tem volante.

Mas apesar de tudo isso, o Brasil deve acreditar na seleção brasileira. Repito: esse mesmo time medíocre ganhou tudo o que disputou nos últimos anos. Fora que as outras seleções vêm mostrando um futebol quase tão ridículo como esse da seleção do Dunga.

Vinicius (ex)Avallone, se o Raí fosse craque não perderia o posto de ídolo são-paulino para o Rogério Ceni


%d blogueiros gostam disto: