Posted tagged ‘Rivaldo’

Chapéu no público

02/03/2011

Tudo bem. Era a estreia do cara. Ele já foi o melhor do mundo. Havia expectativa de todos, até pela idade do jogador. Por tudo o que ele já fez deve ser respeitado e ninguém pode duvidar da possibilidade dele jogar muito (não estou falando do craque do Viaduto do Chá).

Mas vamos ser sinceros. Não adianta a imprensa tentar jogar areia nos olhos alheios.

Em todo lugar o gol do Rivaldo está sendo destacado. Quem ainda não viu, já vou adiantando que ele não deu chapéu em ninguém. Chapéu(s) foi(ram) o(s) do Alex no Emerson e no Rogério Ceni, ali naquele mesmo lugar.

No lance do Rivaldo ele claramente dominou a bola errado e com isso ela passou, pelo alto, ao lado do zagueiro do Linense. Sorte de craque.

Para a imprensa, lógico, isso é chapéu (da mesma forma que o Ronaldo estava em forma no começo deste ano e o Ronaldinho jogou muito ontem). Para mim, não. Ou eu não sei o que é chapéu.

Vinicius (ex)Avallone

Anúncios

Mais um ídolo do São Paulo, interrogação

01/21/2011

Depois de ser dispensado pela antiga diretoria do Palmeiras – aquela que quebrou o clube, ressuscitou Mustafá e, por essas e outras, não deve deixar saudade – Rivaldo agora é a bola vez no São Paulo Futebol Clube.

A história se repete.

O São Paulo Futebol Clube é useiro e vezeiro na prática de tentar forjar ídolos. Contrata grandes jogadores no fim da carreira para daqui uns 30 anos, quando a memória já estará desgastada, e com a ajuda da imprensa, o torcedor se gabar que o fulano jogou no São Paulo.

Foi assim com Falcão, que hoje é lembrado como um dos ídolos do clube. Ninguém fala, porém, que ele jogou meia dúzia de partidas e foi reserva do Márcio Araújo. Para todos os efeitos foi jogador do São Paulo.

Tentou fazer a mesma coisa com o Renato Gaúcho. O jogador vestiu a camisa em um dia e no outro já estava se apresentado em outro clube. Se tivesse ao menos treinado já iriam dizer que foi um ídolo do São Paulo. E mais recentemente o São Paulo fez isso com Evair e Cesar Sampaio, que tiveram curta passagem no Morumbi. É o que minha memória permite lembrar, mas tenho certeza que há outros tantos exemplos.

Não obstante tudo isso, se eu fosse o Rivaldo faria questão de jogar pelo São Paulo, só para deixar o técnico Felipinho numa saia bem justa. Se isso acontecer, meu amigo Luigi di Nápoles, que hoje comemora aproximadamente 40 primaveras, vai ficar revoltadíssimo. Ele e o Dr. Ferretti.

Dizem que o São Paulo pretende bolar alguma estratégia de marketing em cima dessa contratação, assim como o Corinthians fez com o Ronaldo e o Flamengo com o craque do Viaduto do Chá. Se realmente estiverem pensando nisso, vão dar com os burros n’água. Rivaldo não tem esse perfil. Nunca teve. Nem quando era o melhor do mundo. Tanto que o jogador sempre dependeu do bom futebol para conseguir alguma coisa, diferente de muitos outros que jogam só com o nome há bastante tempo.

A verdade é que o coitado é estragado. Não que os citados não são, mas o Rivaldo é mais. Nem a conta bancária resolve. Fora que é muito tímido.

Vinicius (ex)Avallone, querendo ver sangue

Amigo da mula

01/17/2011

Rivaldo (o bom) revelou sua mágoa com Felipinho. Disse que foi o técnico que vetou o seu retorno para o Palmeiras. E isso que se diz amigo, assim como era amigo do Alex. Felipinho preferiu o outro, o péssimo. Prova irrefutável da fase medíocre do domador de volantes (aliás, não param de chegar jogadores para a posição).

Após ficar quase um ano parado, Rivaldo (o bom) jogará o campeonato paulista pelo Mogi Mirim, um dos rivais do Palmeiras na disputa por uma das oito vagas na fase final do torneio. Ainda não estreou. Todos ficarão de olho quando ele jogar. E é bom que ele não jogue nada, pois do contrário o Felipinho não vai suportar as críticas de jornalistas e torcedores. Vai acabar pedindo o chapéu, para a alegria da tesouraria da Sociedade Esportiva Palmeiras.

Mas ainda que Rivaldo (o bom) jogue 10% do seu futebol, ainda assim mostrará que era uma opção mil vezes melhor do que Rivaldo (o horrível).

Vinicius (ex)Avallone

Bomba de última hora no Palestra

10/02/2010

Parem as máquinas, exclamação.

Depois de várias rodadas na reserva, Rivaldo será titular no clássico contra o Santos. Acho que o técnico não percebeu a “coincidência” entre a saída do jogador do time titular e as quatro vitórias nos últimos cinco jogos do Palmeiras.

Parece que Felipinho não quer ficar de fora da dispusta da Taça Vanderlei Luxemburgo.

Vinicius (ex)Avallone


%d blogueiros gostam disto: