Posted tagged ‘Luxemburgo’

Hoje tem o clássico Fla-Bu

11/20/2010

O repórter rubronegro do Lance, Bernardo Gleizer (prazer, Primo Argentino), escreveu hoje:

“Ela estava esquecida, desmotivada, cabisbaixa com um ano muito ruim depois de um 2009 mágico. A torcida do Flamengo reapareceu do nada, atendeu ao pedido dos jogadores e vai lotar o Engenhão na partida contra o Guarani, neste sábado, jogo que pode garantir o clube na Série A do ano que vem.”

Nossa! Fantástico! Que torcida! Então ela “reapareceu do nada”, e decidiu se dedicar a torcer para o time não cair. Uma novidade, certo? Não, errado.

Desde 2000, o Flamengo tem por hábito disputar um torneio paralelo ao Campeonato Brasileiro. É a disputa para não cair. Esse campeonato paralelo é uma tese de Walter Casagrande Jr.

Chegamos a até dar um nome a esse torneio nesse ano de 2010: Taça Luxemburgo. Na época, o ex-técnico Luxa estava no Galo, mas continua a fazer por merecer a nossa dedicatória.

Por isso ouso chamar o jogo de hoje, Flamengo vs. Bugre, um clássico. Sim, clássico dos times que costumam estar ameaçados de rebaixamento.

Campeão em 2009, terceiro em 2007, que costume é esse? – diria Renato Maurício Prado. Estou me referindo à estatística desde 1995. Na média, o Flamengo é 12 lugar. Ou seja, se hoje está em 14, está na média (considerando a margem de erro).

Portanto, hoje teremos o clássico dos médios Flamengo e Guarani. E clássico sempre tem bom público.

Por Primo Argentino, Flamengo 1 x 0 Guarani (pênalti que não foi)

Anúncios

As invenções do Professor Luxemburgo

05/25/2010

Para quem não conhece, este cidadão aí da foto é o Evandro.

Ele ganhou um pouco mais de notoriedade quando foi contratado pelo Palmeiras em 2008 a pedido do Professor Vanderlei Luxemburgo. Segundo Luxemburgo, Evandro vinha para substituir Valdívia, que estava de saída para o Oriente Médio.

Bastaram dois jogos para todos perceberem que Evandro não tinha condição nem de substituir o Lucio Flávio no meio-campo do Botafogo. O jogador visivelmente não dominava nenhum dos fundamentos do futebol.  E para variar, a torcida do Palmeiras logo começou a pegar no pé do jogador.

O jogador acabou por isso tendo o contrato rescindido no ano passado e foi parar no Atlético/MG. Por ter indicado o jogador, na ocasião o Professor Luxemburgo se justifico dizendo o seguinte:

“É um jogador que foi apelidado como ‘seleça’ pela habilidade. Vocês sabem que jogador conhece jogador. Mas ele não caiu nas graças da torcida”.

Por obra do destino, Luxemburgo foi trabalhar novamente com o “seleça” no Atlético/MG, longe da pressão do Palestra Itália.  O que se imaginou então é que o jogador enfim iria despontar, já que o problema era a torcida do Palmeiras, e não Evandro.

Pois é. Nesta semana Luxemburgo se desfez do “seleça”, que foi parar no Vitória. Vai entender o Professor…

Vinicius (ex)Avallone, com pena do Vitória

Os grandes técnicos de outrora

05/17/2010

Vanderlei Luxemburgo, Muricy Ramalho e Emerson Leão.

Ontem, grandes técnicos de futebol. Pelo menos era o que se dizia. Títulos, moral, estabilidade profissional.

Hoje, meros treinadores de times medíocres, na acepção da palavra. Sobrevivem graças a fama de outrora.

O primeiro foi goleado pelo Grêmio Prudente, sério candidato ao rebaixamento que na última semana havia sido goleado pelo glorioso Avaí.

O segundo enfim conseguiu sua primeira vitória à frente do Fluminense. Venceu o time misto do todo poderoso Atlético/GO pelo placar mínimo.

O último conseguiu ir além. Na primeira rodada perdeu para o Guarani, time da segunda divisão do campeonato paulista, e na segunda rodada perdeu para o time misto do Internacional.

Acho que os três precisam urgentemente rever seus conceitos, ou num futuro próximo estarão na vala comum, disputando emprego com Geninho, Vadão, Tite, Jair Picerni e outros tantos de competência duvidosa.

Vinicius (ex)Avallone, até setembro cairão, pela ordem, Leão, Muricy e Luxemburgo

A coincidência do atleta

04/14/2010

No ano passado o Santos chegou à final do campeonato paulista. Na essência, o time era basicamente o mesmo deste ano. Tinha Neymar. Tinha Paulo Henrique. Tinha Madson. Tinha André. De diferente, diferente mesmo, só não tinha Robinho, que na ocasião ainda tentava a sorte na Europa (e ainda tinha um certo prestígio no Lar Mensageiros da Luz). O técnico era Vagner Mancini. Foi em suas mãos que Neymar começou a despontar como profissional. Era a jóia do clube. O time só sucumbiu diante do Corinthians do Ronaldo, na época menos saliente e mais motivado.

Vagner Mancini foi demitido após alguns tropeços. Foi quando Marcelo Teixeira teve a brilhante ideia de contratar outra vez o Professor Luxemburgo. A primeira medida do (ex)trategista: colocar Neymar na reserva. Típico do técnico. Ninguém pode brilhar mais do que ele.

Há 6 meses o Professor Vanderlei afirmou o seguinte: “Ele mostrou que ainda não está totalmente preparado para assumir jogadas importantes“. Neymar foi praticamente encostado. Real Madrid, Barcelona… Tudo havia virado apenas sonho na cabeça do menino. E o Santos foi um fiasco no campeonato brasileiro. Ninguém mais falava da promessa santista. Tanto que a revelação do campeonato foi Fernandinho, hoje no São Paulo (aquele que gastou todo seu estoque de gols do ano num único jogo).  Até um tal de Giuliano foi selecionado como revelação. Há cerca de 3 meses Neymar era apenas mais um.

Luxemburgo foi embora. Veio o bom Dorival Junior para comandar praticamente o mesmo Santos de Vagner Mancini e Luxemburgo. O Santos começou a ganhar. Brilhar. Voltou para a mídia nacional. Deixou de ser notícia apenas na TV Tribuna de Santos. Hoje ninguém mais questiona a grandeza do time (o foco agora é outro). E Neymar voltou novamente a se destacar. Exageros à parte, já é cotado para a seleção brasileira e dizem ter proposta milionária de grandes times europeus. Daquelas de tirar o clube do buraco (embora vários tenham participação na venda do jogador).

A conclusão disso tudo é lógica. Não precisa ter diploma para entender. Nem ser inteligente a ponto de possuir contrato com a BAND até 2011.

A situação de Neymar não é uma mera coincidência. Assim como também não é coincidência o atual momento do Atlético/MG, que segue no campeonato mineiro suando sangue.

Vinicius (ex)Avallone, fã de Luxemburgo


%d blogueiros gostam disto: