Archive for the ‘seleção’ category

Neymaaaaaar, Neymar, Neymar, Neymar…

02/28/2012

Não vi o jogo entre Brasil x Bósnia, apesar da Rede Globo tentar me convencer com comentários do tipo “o time de hoje é o melhor de todos os tempos da Bósnia”, “a Bósnia está em 19 no ranking da FIFA”, “é o recomeço de Ronaldinho Gaúcho na seleção” etc. Não vi porque estava trabalhando. E mesmo que não tivesse não perderia meu tempo. Preferiria ver a Sonia Abrão.

Apesar do resultado, fiquei feliz com o que disseram sobre o desempenho da seleção. Pelo jeito minha torcida dará certo em 2014. Se Deus quiser o Brasil será eliminado na primeira fase, de preferência no Itaquerão.

Mas o que me motivou a escrever foi Neymar. Vi agora a pouco o Jornal Nacional. Não falaram nada sobre ele. Se não falaram nada, nem mesmo de alguma firula, é porque Neymar não jogou absolutamente nada. E assim o mundo continua sem saber quem é Neymar, ou pelo menos não consegue entender porque os brasileiros tanto falam do jogador.

Neymar continua dando “show” contra o XV de Piracicaba, a Ponte Preta e o Linense. Mas quando o jogo é mostrado para o mundo… E isso porque ajustaram um amistoso contra a gloriosa Bósnia, que há 20 anos estava em guerra. Meu Deus, exclamação.

Vinicius (ex)Avallone, quero o Ronaldinho Gaúcho na Copa de 2014

Uma lição para a vida toda

05/12/2010

Sejam sinceros. Deixem a paixão de lado. Analisem com a razão. Sejam pragmáticos. Alguém que acompanha futebol acreditava na convocação de Neymar e Paulo Henrique Ganso, interrogação. Considere que eles nunca foram para a seleção brasileira e começaram a aparecer realmente para o futebol neste ano, faltando pouco menos de 6 meses para a Copa do Mundo. Era difícil de acreditar. Se o Robério de Ogum viesse a público dizer que previu que os dois não seriam convocados eu mandaria ele ir dormir. Meu Tio Zeca diria “Ah, vá!”.

Fugindo da realidade dos fatos, Neymar e Paulo Henrique Ganso acreditavam cegamente na convocação. A reação deste último logo após o anúncio é reveladora. Coitados. Como diriam lá na Nestor Pestana, durmiram no barulho da imprensa. Estavam crentes que iriam para a África do Sul. Não duvido inclusive que já não tivessem combinados as dancinhas.

Insisto. Falta alguém trabalhar a cabeça desses meninos. Um psicólogo. Ou um médico da humildade, se é que existe tratamento para a falta de tal predicado. O Santos precisa urgente cuidar desses jogadores antes que eles se percam em meio ao deslumbramento. Precisam entender como funciona a imprensa. Que não podem se deixar levar pelo que dizem na mídia. Ela quer vender notícia para ganhar dinheiro. Fala sobre o assunto do momento, sem se preocupar com a realidade dos fatos. Chegam a comparar Neymar a Pelé. Não porque a opinião de quem escreve seja realmente esta. Mas sim porque esse tipo de comentário vende “jornal”.

O problema é que o esportista brasileiro em geral costuma acreditar no que a imprensa prega. Exemplos não faltam. Daiane dos Santos, Diego Hypólito, Felipe Massa, Jadel Gregório. Mas vale citar um em especial. Alguém se lembra de um tal de Thiago Pereira, interrogação. 8 medalhas no famigerado Pan do Rio de Janeiro, interrogação. Pois é. Esse cidadão foi para as Olimpíadas de Pequim como o principal atleta brasileiro. Lembro-me da Rede Globo anunciando o duelo Thiago Pereira versus Michael Phelps. Meu Deus, exclamação. Era como se tivessem comparando o Robert com o Batistuta. Mesmo assim o rapaz acreditou. E deu no que deu. Não se ouviu falar do cidadão durante e depois dos jogos de Pequim. Só deu Cesar Cielo. Não sei como está Thiago Pereira hoje em dia, pois ninguém mais fala nele. Não me surpreenderia se dissessem que ele entrou em depressão e tentou se matar.

Lógico que Neymar e Ganso têm mais talento que Thiago Pereira. Mas vale a lição. Não se pode dormir no barulho dos Galvãos Bueno que existem por aí.  Se tivessem se preparado melhor, não teriam uma terça-feira como esta.

Vinicius (ex)Avallone, Ganso só vai se morrer uns 3

O exército de Dunga

05/11/2010

Como diria Celso Roth, “um bom time começa com 3 volantes”.

Dunga extrapolou no meio campo. Formou o maior exército de volantes de todos os tempos. E acrescentou um garoto propaganda. Futebol que é bom, nada.

Logo que saiu a lista, pensei em 2 jogadores: Kaká e Hernanes.

Kaká nunca foi jogador de criação. Nem no PSIII. É o chamado jogador de explosão. Bem fisicamente, pega a bola, corre, protege bem, e chuta. Mediano. Eu o comparo ao Viola. Não lança, não sabe gastar tempo, muito menos chama a responsabilidade, requisitos mínimos de um bom jogador de criação (saudades de Djalminha, Zico, Bandeira). Nem falta ele bate. Camisa 10 que é camisa 10 tem a obrigação de bater falta. Kaká nunca foi protagonista na seleção.

A melhor virtude de Kaká é ser bonito – é o que dizem, pois o único homem bonito que conheço é a Roberta Close. O Rivaldo, por exemplo, se não fosse uma fôrma de fazer lobisomen, teria pelo menos jogado a copa de 2006, quizás 2010. Um craque. Porém um craque desprovido de um mínimo de beleza. Ninguém, por exemplo, iria querer a figurinha dele. Que propaganda o Rivaldo poderia fazer? Assim não dá. Uma pena, pois futebol ele tem de sobra.

Quanto ao Hernanes, imagino a cabeça desse jogador. Foi preterido no maior exército de volantes de todos os tempos. Parem as máquinas, exclamação. Chance assim, nunca mais. O Josué foi. O Felipe Mello foi. Kléberson. Até Júlio Baptista. Meu Deus! É pra repensar a utilidade no futebol.

Por Primo Argentino, aposto no México


%d blogueiros gostam disto: