Éééééééé do Brasil-sil-sil


Peço aos cariocas que não me entendam mal. A minha opinião não é motivada por bairrismo, e sim por um sentimento de justiça. Se acontecesse com o meu Estado, a opinião seria exatamente a mesma.

Nesta semana voltou à tona a discussão sobre a divisão dos royalties do petróleo: o dinheiro deve ficar para os Estados “produtores” (como se fossem eles que produzissem algo) ou se deve ser repartido com os demais Estados, interrogação. Na minha opinião deve ser repartido, podendo os Estados dito produtores ficarem com uma parcela um pouco maior (sem falar que eles já ganham com os impostos).

Espírito Santo e Rio de Janeiro estão esperneando, já que podem perder a boca livre. Lembrei da cena do governador Sérgio Cabral chorando pela possibilidade de perder o dinheiro fácil que entra nos cofres públicos cariocas. para ser gasto sabe lá com o quê, já que é público e notório que nada funciona no Estado (saúde, segurança, educação etc.). Um dos episódios mais ridículos que já assisti. “É inconstitucional, imoral, ilegal, a maior agressão que o Rio de Janeiro já sofreu no Império e na República”, disse o senador carioca Francisco Dornelles ao G1.

O engraçado dessa história é que ao mesmo tempo em que o Rio de Janeiro fica informado com a possibilidade de ter que dividir os royalties do petróleo com o restante do país, o restante do país é obrigado a ajudar o Rio de Janeiro a resolver os seus problemas com o narcotráfico. Ora, quem você acha que está pagando a conta da invasão da Vila Cruzeiro e do Complexo do Alemão, interrogação. Ou você acha que não custa nada para o Governo Federal ter que deslocar tanques de guerra e milhares de pessoas das forças armadas, interrogação.

Vinicius (ex)Avallone, pra não falar do Panamericano, que se não tivesse ajuda da União não teria acontecido

Anúncios
Explore posts in the same categories: Uncategorized

Tags:

You can comment below, or link to this permanent URL from your own site.

23 Comentários em “Éééééééé do Brasil-sil-sil”

  1. Sans Seriff Says:

    Peço aos paulistas que não me entendam mal. A minha opinião não é motivada por bairrismo, e sim por um sentimento de justiça. Se acontecesse com o meu Estado, a opinião seria exatamente a mesma.
    Nesta semana (e em todas as outras semanas) estão omitindo a discussão o assunto do ICMS sobre a produção do petróleo: para qualquer produto do Brasil, o ICMS fica para os Estados “produtores” (como se fossem eles que produzissem algo). Menos para o petróleo, que o ICMS fica com os Estados consumidores. É uma brutal discriminação. O ICMS deveria ser pago como se paga aos demais Estados, interrogação. Na minha opinião deve ser pago do mesmo modo, ficando os Estados dito produtores com o ICMS de sua produção, como acontece com todos os demais produtos e serviços. Dê os royalties para todos e o ICMS a quem de direito.

    Caro Sans, vou pedir à assessoria jurídica do blog (Dr. Ferretti) elaborar um parecer sobre a questão do ICMS. Precisamos, sim, saber as razões. Se é injusto, como vinha ocorrendo com os royalties, tem que mudar tb. Primo

    • Andrey Pandaw Says:

      Só uma consideração a se fazer, O dinheiro gasto na extração de petróleo não vem do bolço o carioca somente, vem do brasileiro, isto é, dos cofres federais. É um absurdo o rio de janeiro querer ficar um uma parte maior do bolo sem ter se esforçado mais que os demais. Sobre os impostos é como a lógica diz, não é o rio que produz o petróleo, é o país, é diferente de produzir leite ,café, macarrão e armas, isso quem produz são empresas locais, mas o petróleo que produz( não é quem extrai) é a união não a unidade federativa.
      É esse o meu ponto de vista.

      • Ainda Chego Junto Says:

        acho que voce acertou em parte. E como ficam as riquezas mineras dos solos, que os agricultores usam, o nitrogênio, os fostatos etc também são riquezas públicas e em solos onde há essas riquezas minerais os fazendeiros ficam com a grana. Quero minha parte. E se quiser, arrumo um monte de outros exemplos. A produção mineral tem relacionamento na esfera econômica com os estados onde estão localizadas as jazidas. E há estados com hidrelétrica alimentando outros estados. Chega de exemplos. mamá no bode ocê não qué?

      • Ainda Chego Junto Says:

        Andrey, você se enganou, o dinheiro gasto na extração de petróleo não vem do bolso do carioca somente, vem do brasileiro, cliente da petrobrás direto ou indireto. E também vêm dos acionistas, que puseram lá em setembro mais de 70 bilhões de dólares.

        • Andrey Pandaw Says:

          Mas eu disse que não vem só dos cariocas…justamente foi isso que eu disse releia por favor.

  2. Vini Says:

    Não sou paulista nem carioca, mas tenho minhas dúvidas sobre o tema.

    A justificativa de que são os Estados produtores que arcam com os impactos ambientais e eventuais desastres na produção, como na Baía da Guanabara nos anos 90, é plausível.
    Além disso, ao contrário de qq outras produções (cana-de-açucar, soja, etc), o petróleo é um recurso finito.

    Por fim, sou favorável que se ponham as Forças Armadas a trabalhar, seja no Rio ou qq outro lugar. Melhor botar pra fazer algo útil que ficar pagando soldo pra milico ficar fazendo flexão e polichinelo em quartel. O que se gastou pra deslocamento é muito pouco comparadado com o q se gasta pra eles descansarem na caserna.

    É a mesma coisa que ter uns 4 carros na garagem (pagando IPVA, seguro e o escambau), e nunca usar pra não ter que gastar com gasolina.

    Sei lá. Esse negócio de desastre não cola, até pq quando acontece a Petrobras paga multas altissimas. E lugar de exercito é na fronteira.

    • Vini Says:

      Onde tem menos exército é na fronteira… Vide a quantidade de desocupados, digo, milicos, em diversas cidades de interior.

      Só na fronteira da Amazônia basicamente. E fronteira é lugar de Polícia Federal.

  3. Hélio - Belém - Pará Says:

    salve Vinicius.

    queria fazer uma sugestão de post.

    que tal fazer um post caprichado sobre as escolhas das sedes da copa do mundo de 2018 e 2022???

    sinceramente eu gostei da escolha da Rússia, pois la tem muita grana e o futebol esta crescendo demais.

    mais detestei a escolha do Qatar, os sheiks capricharam no mensalão hein!

    bom eu tenho varias opiniões sobre as escolhas, mais prefiro que voce Vinicius lance um post sobre isso.

    Hélio

    Belém – Pará

    O negócio é o seguinte: leva quem der mais oportunidades.

  4. usde Says:

    É isso mesmo! tem que dividir igualitáriamente! O país é de todos os brasileiros, “seus” recursos também devem ser. Mas grande parte daqui apóia (e se apóia na) desigualdade.

    • Sans Seriff Says:

      eu me apóio na igualdade. o Richarlysson tem o mesmo direito de receber os royalties que qualquer outro.

      Para de usar esse negócio…

  5. Sans Seriff Says:

    Pensando bem, quem sofreu a maior discriminação do Império foram vocês. O Império do Amor discriminava a todos e passava a régua, levando o sexto caneco para a Gávea.

    Quinto.

    • Ticrica Says:

      Vc quis dizer o imperio da droga? Já era? O brasil invadiu a Vila cruzeiro. Agora é império do poquer. E qto aos royalties, chega de sustentar os funcionários públicos do rj. Só tem isso naquela merda

      • Ainda Chego Junto Says:

        além de tudo ruim, o Rio também tem mulher, praia e futebol. Não nessa ordem ou separados.

    • Vini Says:

      Além dos royalties, querem um caneco do Sport.

  6. Vini Says:

    Gostaria de lançar minha candidatura a uma vaga (não-remunerada) no jurídico do Blog.

    Mande um CV. Só não pode ser formado na UNIP. Já não basta o Dr. Ferreti. Se quiser publicar um artigo, fique a vontade. O espaço é democrático.

    • Vini Says:

      Gostaria, sim, de mandar uns artigos de vez em quando.

      Mas sou formado em universidade particular tb, hehe.

      Pode mandar.


      • faça um blog como eu e escreva, ta certo que p meu é mais humilde, de certo modo foi lendo aqui e comentando que decidi escrever no meu tempo livre.

        é um blog humilde mas tem alguma coerencia nos comentarios, se quiser pode escrever la tb. o espaço é livre

  7. Ainda Chego Junto Says:

    vai ter edital e exigências de 31 documentos.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: